“Sentindo na pele”: alunos conhecem, na prática, a realidade de um deficiente visual

“Sentindo na pele”: alunos conhecem, na prática, a realidade de um deficiente visual

Com o objetivo de fazer com que os alunos compreendam a diversidade humana e tenham consciência das particularidades de todos os indivíduos, o curso de Psicologia organizou um encontro – conduzido por seus próprios alunos – na UniFSP, chamado de “Café Com Bolo às Cegas”, no qual a aluna Taina, deficiente visual, acompanhou seus colegas que, de maneira prática, puderam sentir como é o mundo dela.

A experiência contou com a participação dos alunos do 1º Termo de Arquitetura e Urbanismo; para eles, a atividade foi válida pela disciplina Introdução.

Taina demonstrou aos seus colegas de Psicologia e aos estudantes de Arquitetura e Urbanismo como é o seu dia a dia e as reais dificuldades de mobilidade enfrentadas por um deficiente visual. “No início, os alunos foram vendados em sala de aula e saíram pelo corredor até outra sala. Sentaram-se à mesa e se serviram. Viveram a experiência”, relatou Taina.

Outras realidades

Ainda na mesma semana, os alunos do 1º termo de Arquitetura e Urbanismo também tiveram contato com uma cadeirante e puderam conhecer a realidade dela; andaram com cadeira de rodas, andadores e muletas.